segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Duas doses poéticas


Photo by Peter Hellebrand, Rotterdam, Netherlands.


Duas falas

Ela fala de voar eu vejo céu.
Ela pensa em tracejar;
Eu mostro mapas.
Ela pensa em vir da carne o doce mel...
Eu no mel dum doce espírito:
Pulo etapas.
Ela fala de sorrir até chorar
Quando cá vejo chorar até sorrir!
Ela fala de seguir ao ver chegar
E daqui vejo chegar após seguir.
Ela segue mais avante do que eu sei
Mesmo assim, já posso ver seu caminhar
Nas areias que pisei tão logo ali
Quando a névoa decidiu me raptar.

Tantos anos de cegueira imposta à brasa,
Quando amor se misturou, na cova rasa,
Ao prazer que dominou a triste fala,
Ao amar que é tudo junto e mais que isso.

Ela fala em conquistar o Mundo novo
E eu pensando na revolta dos umbigos
Ela fala em recomeço e desconsolo
Eu sou marca... Que destrói com tudo isso.





O fantástico circo novo


Numa pirueta do palhaço eu vi
Toda a palhaçada onde devia estar...
Fora desse picadeiro em que eu vivi,
Dentro de uma rocha que morreu no mar.

Onde a magia velha me encantou!
Números de um circo onde eu não quis estar...
Vejo alguns anões a fazer rir também,
E um acrobata desequilibrar.

Nova apoteose de ver tudo além!
Ares rarefeitos não vão me ofertar
A magnitude de sentir, que alguém,
Sente o seu sentido louco de enxergar!

Palhaços!
Mágicos!
Circos!
Micos!
Sorrisos novos que eu guardei comigo!
Anões!
Gigantes!
Morto!
Expressivo!
São novas vozes a cantar comigo!

0 comentários:

Postar um comentário

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.