segunda-feira, 28 de março de 2011

Alma Trabalhada



Trabalhei na alma uma nova esperança
Bonita, imponente, pintada de verde
Enfeitei-a com ar; poesias, sorrisos
Enfeitei-me de sol; e mar de poente.

Trabalhei na alma uma nova paixão
Aquela que traz de nossos sonhos, docemente
A lei vigente de encontrar o amor
Podendo com amor: ser só mais um incoerente.

Trabalhei na alma uma nova canção
Que dizia de mim: mil anos ao luar
Que dizia de mim: jamais se findará
A tristeza da alma; sem os teus versos de amor.



(Mais um livro de poemas na gaveta: Aceite as Flores Carnívoras de um Neandertal)

Um comentário:

  1. Olá Allan,

    Achei seu blog muito rico e sofisticado.

    Descobri-o no blog do bule. Parabéns pelo bom gosto do designe e dos textos.
    Gostaria de convidá-lo a visitar meu canto
    http://emaranhadorufiniano.blogspot.com

    Seu comentário será muito bem vindo.

    Abrçs!!!

    ResponderExcluir

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.