sexta-feira, 25 de março de 2011

Jukebox de Psicopata + Respostas do Autor: A Morte do Cozinheiro




Encontrei mais três sucessos para tocar no radinho psicótico do Luiz Aurélio, dessa vez em postagens de blogs!


As duas primeiras músicas são do blog Biblioteca FSAB, e a terceira é do blog Amor, Mistério e Sangue.





Linkin Park - Crawling



The Calling - Wherever You Will Go



Pain of Salvation - Ashes





O Autor Responde

(Questões que surgiram no e-mail e em alguns comentários pela grande rede)



Allan Pitz já matou alguém?

Ainda não... Mas comprei uma raquete elétrica, e matarei qualquer mosquito que entrar em minha casa!

Matou o cozinheiro?

Não...

O Livro parece um diário de maluco, é um diário de maluco?

Não é um diário de maluco, mas foi escrito por um maluco.

Tú já sofreu muita dor de corno antes de escrever o livro, né?

Ah, meu camarada, nem fala... Eu tenho mais galhos na testa calva do que as Renas do Bom Velhinho!


Por que o Luiz é todo metido a ser clássico? Por que ele não narra a história direito? Tu não sabe escrever direito não?!


Sei sim, meu bom leitor, mas essa eu quis escrever 'esquerdo' mesmo. E posso garantir que a minha loucura é água com açúcar perto de outras. O meu livrinho maldito foi um choque do narrador antigo, "clássico", com os sentimentos e recortes contemporâneos. Um daqueles textos brutos que o autor não espera muita coisa, e de repente ele aparece na mão do leitor. Que pode até xingar (é normal), mas geralmente percebe a audácia mutante do texto. O leitor costuma procurar A Morte do Cozinheiro em busca de um material diferente e rápido.


Os seus livros são todos narrados assim?


Não. Cada um segue uma essência criativa. Uns são repletos de diálogos, como o Estação Jugular (Remarcado pela Editora para ser lançado em Abril).

Alguém, sem ser um dos seus parceiros, gostou desse livro?

Claro, minha mãe gostou! E ela também me acha bem bonito. Agora, sinceramente: Muitos que não são parceiros divulgadores fizeram bons comentários, e alguns parceiros também não gostaram muito. Leitura acaba sendo bem pessoal, vai da visão e sentidos de cada um com a trama.

Você gostou do livro?

Achei meio maluco, mas condiz com os sentimentos e a personalidade que eu criei para conduzir o texto. É corajoso, com certeza bem corajoso e filosófico. Mas não deverá ser imortal, não tem pernas para tanto. No mais eu gostei sim.




FALE COM O AUTOR EM: apitz100@yahoo.com

4 comentários:

  1. Amo esse livro \o/
    Adorei as perguntas doidas e as respostas ultra malucas \o/

    ResponderExcluir
  2. E daqui eu fico todo bobo!

    Obrigado, Nanie. Gostei do 'respostas ultra malucas'!!

    ResponderExcluir
  3. Me inscrevi para participar do book tour do selo brasileiro, espero poder fazer parte e receber esse livro, li algumas resenhas dele e me interessei bastante, ah e o questionario foi muito legal tbm adorei as respostas do autor...rsrs abraço. Dana

    ResponderExcluir
  4. Oi Dana!

    Perfeito, o book tour é uma forma bacana de tornar os livros do Selo mais acessíveis para os parceiros, interessados em resenhar (preciso divulgar isso aqui no blog). Vou torcer para que o livro doido te agrade!!

    Abraços!

    ResponderExcluir

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.