terça-feira, 24 de abril de 2012

A Arte da Invisibilidade - Trechos destacados pelos leitores



‘A arte da invisibilidade é o homem pensando sem a idéia pronta de outros homens do passado e do presente, e assim evoluindo não apenas dentro dos padrões evolutivos da sociedade que ele mesmo criou.’


"Posso ser considerado invisível no final deste livro, por ter jogado filosofia nas pessoas de uma forma que difere dos padrões habituais programados. Mas pensar é filosofar, meus amigos; o raciocínio do ser humano em si já é filosófico! Então, que seja!"

 




“Os invisíveis são os condenados que ainda conseguem enxergar longe da grade ilusória, enxergam além dessa imensa matrix social programada, além do que exigem da nossa visão cansada, embaçada; além do que  tentam nos anexar, a ferro em brasa, ao centro operacional do entendimento confuso.” 



"Este aqui não deve deixar saudade em ninguém: não tem personagens fantásticos, nem feitos heroicos, nem diálogos empolgantes (um técnico em melhorar livros iria sugerir mudanças para vender mais)..."



A arte da invisibilidade é uma contribuição minha (tentativa), para ajudar as pessoas da terra a pensarem de uma maneira não induzida por terceiros mal-intencionados. Ajudar a elevar o pensamento próprio do ser humano.

No Blog Livro Land


"A uva sempre será a uva, o que interessa é saber em que cacho ela está, agora, e como as outras uvas dessa unidade espera que ela as ajude a compor a unidade de integração do cacho, e a manutenção de seus valores, para defesa da proposta maior: ser o melhor cacho da videira."

-"Bom dia, senhor! Como vai Vossa Excelência?"
- "Vossa Excelência é o cacete! Vossa Excelência é um frango depenado! Eu quero saber do sol, das estrelas, do centro da terra, das profundezas, dos oceanos, das estrelas que correm ligeiras depois de estarem paradas! Questionem as vossas excelências do mundo sobre as coisas que nos são devidas como seres humanos pensantes! Ou não são excelências de nada, oras!"



“Tento crescer as opiniões num mundo de opiniões”, berra o garoto.
“Tento viver dignamente num mundo de opiniões”, berra o adulto.
“Será que alguma vez tive opinião própria e vivi dignamente?”, pergunta-se o velho.

No Site Up Sagas


PS: Os Paquidermes voltaram para a savana, ainda que timidamente. Porém, o blog antigo, será substituido por um novo site (livros novos, editora nova, tudo novo), em breve.
Agradeço ao meu amigo editor Léo Kades pela força e o incentivo dos últimos meses: não é por acaso que a Dracaena cresce cada vez mais.

Um comentário:

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.