sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Apátrida - Ana Paula Bergamasco



Apresentação


Uma pequena vila na Polônia. Uma menina repleta de vida. Um encontro. Vidas Ceifadas. Sonhos Destruídos. Infâncias Roubadas. As recordações da personagem Irena amarram o leitor na História do Século XX. Baseado no estudo dos fatos que marcaram a época, o palco da narrativa é a conturbada Europa pós Primeira Guerra Mundial, culminando com a eclosão da Segunda Grande Guerra e a destruição que ela provocou na vida de milhões de pessoas. A narradora conduz a exposição em primeira pessoa, e remete o leitor a enxergar, através de seus olhos, o cotidiano a que ficou submetida. É um relato humano, sincero e envolvente que revela a passagem da vida infantil feliz da menina, para o tumulto da existência adulta, cheia de contradições. Finalista do Prêmio Sesc de Literatura de 2009.



Palavra de Allan Pitz:


O livro ultrapassou voando o "ser bom"; ele é ótimo! Quando a queridíssima Ana Paula me propôs a troca de livros, jamais imaginei que receberia um presentão de fim de ano como esse. Repetirei aqui o mesmo que disse a ela: "Apátrida é a última pedra sobre o assunto de os livros nacionais não terem o mesmo nível dos estrangeiros (dúvidas? Compre urgentemente:
http://www.apatridaolivro.blogspot.com ).

Em Apátrida, Bergamasco literalmente salva a pátria com uma história que poderia muito bem ter saído de nossos maiores selos editoriais, ou importada a peso de ouro por eles. Somos conduzidos para a trama através dos olhos e sentimentos de Irena, uma jovem polonesa que vivera sua mocidade lado a lado com os horrores da Segunda Guerra Mundial.

Mas não pensem vocês, que ficaremos somente naquele mar de suásticas, violência e gritaria em alemão; nada disso! Irena é real em nossas mentes desde a primeira página, e o que vemos depois disso nada mais é do que a vida fantástica da moça (minha heroína), independente da maldita guerra. Por isso a obra se faz tão espetacular... A guerra invadiu a vida da doce Irena, e não o contrário. A guerra é uma intrusa, ordinária, vil, na história dessa personagem maravilhosa, que já reservou seu espaço cativo no meu coração. E que sem dúvida alguma, entrará no coração e na alma de cada leitor.


Vídeo curtinho mostrando a covardia das tropas nazistas para invadir um país sem poderio bélico:






"(...)pensei estar diante de mais uma obra que procurava romancear sobre um tema já clichê no universo da cultura(...) Mas a leitura das primeiras páginas demonstrava o cuidado da autora em descrever o universo em que seus personagens se moviam: os nomes populares de casas, quartos, vilas, os pronomes de tratamento usados por poloneses, judeus, alemães, imediatamente nos revelam os anos de pesquisa da autora para poder penetrar esse universo tão distante do nosso.
O cenário não poderia ser mais problemático: a Polônia do Entre Guerras(..) De um lado a Alemanha nazista(...) de outro a antiga União Soviética.
Aqui reside um dos elementos mais saborosos do livro: a veracidade dos fatos narrados."

Edison Minami
Doutorando em História Social pelo DH-FFLCH-USP




Sobre a Autora

Ana Paula Bergamasco

Paulista, descendente de imigrantes italianos e espanhóis, sempre buscou compreender as adversidades que os assolaram quando aportaram no Brasil. Cursou direito na Faculdade de Direito da USP. Nesta, desenvolveu projeto de pesquisa na área de direito internacional cujo objeto de estudo foi a possibilidade da pessoa humana ter direitos perante o sistema jurídico internacional. Recebeu uma menção honrosa da USP e participou de um Congresso da Rutgers University - USA. Cursou pós-graduação de Direito Tributário na PUC-SP e Direito Contratual no IICS_CEU, onde hoje é professora. É mestranda em Direito na USP. Contudo, a ideia de realizar um sonho de infância e transformar todo o estudo histórico num romance somente veio a se concretizar agora, com o lançamento de Apátrida. Feliz, afirma que com ele, de certa forma, completou um ciclo de sua vida. A árvore já havia plantado, ainda criança, no jardim de sua doce avó materna. Filhas, ela possui duas, que lhe deram a plenitude de ser mulher. Com Apátrida, inicia uma nova fase: além de mãe, advogada e mestranda, a de escritora. E, para sua surpresa, com o reconhecimento de ser o livro finalista do Prêmio SESC de Literatura de 2009.
http://www.apatridaolivro.blogspot.com

8 comentários:

  1. Apátrida é minha leitura do momento e o que posso dizer sobre o livro? Além de tudo o que disse, e que concordo plenamente, o romance entre Jacob e Irena é uma doce esperança no meio de tanta catástrofe. Através dele podemos imaginar o sentimento da maioria que lutou pelo país, que participou da guerra de qualquer forma que fosse, e esse sentimento nos mostra a humanidade existente em todos, sem discriminação. É horrível ler sobre o que acontecia na época, mas importante para livrarmos da ignrância que possuíamos antes de ler Apátrida... Estou aprendendo muito com o livro. E será uma das resenhas mais difíceis que farei.

    Adorei sua resenha, ficou ótima. E já havia visto esse vídeo, é desumano!
    Abraços, querido parceiro. E um FELIZ NATAL para você!

    ResponderExcluir
  2. Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas felizmente o tenho aqui na minha estante e o lerei o mais brevemente o possível! Só tenho visto críticas maravilhosas acerca desse livro! A sua resenha (maravilhosa, por sinal, Pitz) só me deixou ainda mais curiosa para ler esse livro - parece realmente excelente!

    ResponderExcluir
  3. Maravilhosa sua resenha Allan. Acredito que todos que leram o livro da Ana foram de alguma forma "tocados" pelo que ela narra. Para mim o livro dela deveria ser um best-seller, pois merece isso. Mas aqui no Brasil ainda precisa mudar a mentalidade de que só o que vem de fora é bom. Aqui tem muita gente boa, de talento e eu acredito que o cenário está mudando.

    Abraços

    Eliane (Leituras de Eliane)

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigado pelos comentários!!

    Mellory - Apátrida é um livro que nos leva para caminhar por diversos pensamentos. Amor, ódio, racismo, esperança.. Vale cada segundo da leitura! Fiquei feliz em te ver comentando por aqui.

    Nanie - Pois leia, minha amiga, leia Apátrida! Eu fiquei mais do que surpreso. Foi a minha maior surpresa literária em 2010. A resenha foi na verdade um desabafo comentado, de um leitor comum, fascinado com a leitura recente.

    Eliane - Seja bem vinda à Savana de pensares do Pitz! Obrigado! A qualidade do livro da Ana é inquestionável, realmente, e com isso nós até estranhamos um pouco o selo editorial desconhecido dele. Tem cheiro de best - Seller. Não tem?


    Beijão!

    ResponderExcluir
  5. Eu AINDA não o li, mas será a minha próxima compra!!
    Todos estão falando maravilhas sobre Apátrida.
    E essa sua resenha me deixou ainda mais ansiosa para lê-lo!

    Beijos
    Rapha - Doce Encanto

    ResponderExcluir
  6. Olá, Raphaela!

    Ah, que bom que eu ajudei na sua ansiedade! rsrs.
    Mas compre o livro mesmo, é top garantido (minha opinião).

    Beijão!

    Ps: A Morte do Cozinheiro já está chegando por aí.

    ResponderExcluir
  7. Olá Allan, tudo bem?
    Só você mesmo!!! Pode ser que eu consiga um selo para a segunda edição rs!
    Best Seller? Só Deus o sabe, mas fico feliz que os leitores estão gostando, principalmente um ótimo leitor como você.
    Abraços, Ana

    ResponderExcluir
  8. Olá Ana! Tudo ótimo.

    Eu nada, os leitores dirão com o tempo.
    Segunda, terceira, quarta, quinta, esse livro terá outras edições memoráveis.

    Muito obrigado, doutora! Gostei de te ver comentando aqui na savana!

    Abração!

    ResponderExcluir

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.