domingo, 14 de novembro de 2010

Entrevista com Allan Pitz no blog Literatura de Cabeça



Estava dando uma pesquisada no google quando achei essa minha entrevista para o Danilo Barbosa, do blog Literatura de Cabeça. Gostei muito relendo depois de um tempo. Ficará aqui também, para leitura de todos. Espero que gostem.

Link original: Literatura de Cabeça


Poeta, humorista, contista. Multifacetado homem que brinca com as palavras. Assim é nosso escritor Allan Pitz, autor do consagrado livro "A morte do Cozinheiro" (veja resenha aqui) . E com muita alegria trazemos um pouco das ideias desse excelente autor.


Quando começou a vontade de escrever?

Quando as histórias já pulavam da boca antes que eu pudesse contê-las. Atuando no teatro eu percebi que, na verdade, a escrita me supria totalmente. Eu não queria estar na cena, queria apenas criá-la.


É dificil a jornada para ser escritor?

Esse é um círculo muito doido... Cheio de curvas, opiniões, visões pessoais, barreiras, reis e rainhas, portais... Eu acho que ser ator ainda é muito mais fácil. Mas batalhar espaço na literatura de hoje, como escritor brasileiro, é divino! É uma briga que vale muito a pena!


O que prefere: ser escritor ou ser poeta?

Bem observado. Um músico pode escrever um poema para sua melodia, pode acontecer, mas ser um escritor e, com isso, vagar por todos os métodos de criação literária é outra história. Gosto mesmo é de escrever histórias. Poemas são expurgos involuntários da minha alma.


Em a morte do cozinheiro não me canso de dizer que vc transformou poesia em prosa. Foi dificil esta transição?

Não, pelo contrário, bastou trocar os meses convencionais de técnicas literárias por duas semanas de fluência poética sem barreiras. Deixei fluir o que vinha como se fosse realmente um poema, coisa meio de antigamente. Quando terminei é que fui cuidar melhor das estruturas. Foi um livreto escrito na mesma sintonia de um poema, para frente, seguido, sem delongas, urgente! A minha próxima obra a ser lançada, Estação Jugular, demorou muito mais tempo para ficar totalmente pronta.


De onde surgiu a inspiração para A morte do cozinheiro?

A ideia principal é navegar na mente de um pré-assassino passional, complexo, culto, ciumento, e a inspiração veio dos casos de crimes passionais, e das chamadas crises de ciúmes doentes. Até que ponto o Ser Humano pode esquecer quem é dentro de sua dor incontrolável? Essa é a inspiração. Ver o ciúme e a derrota de amor por dentro, de um ângulo bem diferente.


Tem mais algum projeto em andamento?

Falta bem pouco para sair o meu livro Estação Jugular! Já está fechado com uma excelente editora, e em breve estará aqui para observação dos seus leitores


Onde as pessoas podem encontrar seus livros e textos?

No meu blog, lá eu atualizo os links e publico alguns textos. Para comprar A morte do cozinheiro existem alguns pontos de venda no RJ e um em Torres, RS, e pela internet na livraria virtual Tarja. O meu livro de poemas Duas Doses e um Bungee é vendido somente em Portugal, mas pode ser adquirido por aqui através do site da editora World Art Friends.


Algum recado para quem está começando agora?

Tente. Persista. No começo os textos não sairão como o esperado, mas esses são os textos responsáveis pelos bons que ainda virão. Rabisque, leia, crie o seu ponto de vista, crie a sua fórmula, a sua escrita. O seu talento, escritor, está apenas em você, e nos seus estudos. Acredite e siga em frente. Tente não ser ansioso, evite enviar os originais para as editoras antes de uma boa revisão, o Brasil está cheio de bons profissionais, como a Kyanja Lee, por exemplo. Aposte no que há dentro de você.


Defina-se em uma palavra.

Teimoso.

Poeta, romancista, blogueiro. Sobra tempo para outras coisas?

Sinceramente: Estudar, comer e tomar banho. E sonhar, é claro. Mas no começo não dá pra ser diferente. Se você realmente quer ser lido e reconhecido, precisa ter nas mãos as palavras que os leitores querem ler (ou não esperavam ler) para expor ao mundo suas histórias, seus devaneios, e isso exige 110% de dedicação e amor. Meu maior compromisso é com o leitor. É um casamento velado e feliz.



Meus sinceros agradecimentos ao Danilo!

2 comentários:

  1. Ótima entrevista! Muito em breve, pretendo fazer uma entrevista contigo no blog Nessa News, se você topar, é claro!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Ah, já até saiu a entrevista (e eu respondendo agora)!

    http://newsnessa.blogspot.com/2010/12/entrevista-allan-pitz-autor-de-morte-do.html

    Não deixem de conferir o blog da Vanessa (Nessa News)!!

    ResponderExcluir

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.