quinta-feira, 5 de novembro de 2009

SALVEM A AVESTRUZ ERÓTICA!



Que susto levou o porteiro Adailton, dedicado funcionário do prédio Luxuor Parque, no bairro dos Jardins na cidade de São Paulo, minutos antes do Réveillon 2008.

- O que o senhor ta fazendo com esse bicho aí no elevador?!

- Nada; o que lhe parece? Estou apenas levando-o para meu apartamento.

- E pode? Um troço desse tamanho no elevador Doutor Amílcar?!

- Pelo condomínio que pago poderia ser um casal de girafas, estafermo!

- Sim senhor...

- E óh, boquinha de siri, viu Adailton?

- Pode deixar Doutor Amílcar... Pode deixar...

- Você não viu nenhuma avestruz aqui hein! Fica na sua.

- ‘Vistruz’ nenhuma Doutor. Positivo e operante. Feliz ano novo...

O empresário falido fechou a porta do elevador, enquanto o atônito porteiro ainda tentava entender os motivos que o fizeram levar aquele bicho de zoológico para dentro do próprio apartamento. - Deve ser pra comer o pobre do animal! E eu achando que só faziam essa maldade no interior... Com galinha e cabra... Será?! Doutor Amílcar é Vistrófilo?! Existe isso?! Eu devo tá ficando é maluco. – Na troca de turno o porteiro não se conteve e comentou o acontecido com o colega:

- O Valdecir, se eu te contar um segredo tu guarda?

- É claro! Pode mandar.

- O Doutor Amílcar do 502, entrou ontem na hora da virada com um bicho enorme no elevador.

- Uma bicha é?!

- Um bicho rapaz! Um Vistruz!

- Eita! Esse bicho é grande mesmo. Só vi uma vez no zoológico.

- Pois é! Isso mesmo é que ta me preocupando... O que um homem desses pode querer com um animal de zoológico dentro de casa?

- O homem não ta falido?

- A Dona Laura diz que ta.

- Então! Ele vai é comer o bicho e os ovos que ele botar.

- Vai não... Eu acho que é outra coisa... Doutor Amílcar tá sem dinheiro, solitário... Acho que num ta mais certo da cuca não. Endoideceu.

- Será?!

- To achando... Valdecir, não comenta isso com ninguém!

- Pode deixar. Não quero confusão pro meu lado.

Valdecir assumiu seu expediente na portaria e não contou o caso a quase ninguém... Apenas para a sutil Dona Laura, ex-socialite esquecida e infeliz que adora ver o mesmo fracasso, por frestas variadas, ocorrendo a todos. Após ouvir silenciosa e estupefata a história do porteiro Valdecir, a mulher não teve dúvidas:- Esse crápula mantém relações com o animal! Que tipo de gente meu Deus! Que gentalha abominável! Estamos todos perdidos. -

Quando voltou ao trabalho, Adailton involuntariamente ainda pensava na avestruz seqüestrada, de capuz preto, respirando ofegante, assustada... Até o momento em que Dona Laura cortou seus pensamentos com a surpreendente realidade: Todos os moradores já sabiam do episódio macabro envolvendo Amílcar e o pobre animal, e mais, haviam comunicado ao IBAMA e ao Greenpeace no intuito de dar fim ao crime ecológico e bizarro que ocorria no quinto andar.

– Pelo amor de Deus Dona Laura, o Doutor Amílcar vai me matar!! Agente nem sabe se é isso mesmo!!

- É claro que é isso! Nunca reparou no olhar sedento daquele homem horrível?! Estão mantendo relações sexuais, sem dúvida! E posso apostar que a coitadinha reprimida não aprova em nada esta indecência forçada!

Sem que pudessem prosseguir, a polícia federal repentinamente se identificou na portaria, e entraram firme rumo ao apartamento 502. Dona Laura conseguiu avisar todos os moradores, em tempo de ver Amílcar descer algemado; a avestruz encapuzada levada pelos policiais; e puderam ainda tacar alguns ovos de galinha no rosto do empresário, aos gritos solenes de estuprador de passarinho, tarado, demônio, entre outros que a farta inspiração ordenava de momento.

Nem Amílcar, nem os policiais, entenderam a manifestação dos vizinhos. Afinal, ele foi preso por ter roubado a ave confiscada da empresa falida onde investira todo seu dinheiro. Na tal 'lucrativa' empresa de carne e ovos de avestruz... Arrebentada no meio como tantas outras pela crise na bolsa de valores. Achou que pudesse então, ganhar algum dinheiro vendendo o animal valioso no mercado negro... Estuprador?!

Mediante tantas denúncias, o homem foi preso e somou outras acusações, a avestruz acabou sendo examinada minuciosamente pela perícia, e depois de muitas matérias sensacionalistas, foi comprovada a pureza casta do animal. Mas agora é tarde... Desempregado e sozinho, todos só lembram-se do empresário Amílcar como o tarado da avestruz.

Ninguém no prédio Luxuor se desculpou pelas falsas acusações sexuais. Os porteiros foram culpados e demitidos.

(Este conto faz parte do livro 'A fuga das amebas selvagens', de Allan Pitz.)

0 comentários:

Postar um comentário

Este blog surgiu após inúmeras recomendações, broncas, cascudos e beliscões de conhecidos. Aqui está, enfim, um espaço próprio para o escritor Allan Pitz publicar suas "Patavinices", seus textos, seus livros, e tudo o mais que o tempo for lhe guiando e desenvolvendo.

Obrigado pelo incentivo de todos.